António Orlando – texto

Já se ouviram os motores e viram-se as máquinas dos WRC em Paredes. A freguesia de Baltar recebe o primeiro momento de ação do Rali de Portugal, com a realização do “shakedown”. O “aquecimento”, que teve início às 7.30h prolongou-se até à hora do almoço, num percurso de 4,6 quilómetros que terminava na pista do Kartódromo de Baltar.

Por a prova do Mundial Ralis não contar para o Nacional

os pilotos paredenses, João Barros e Elias Barros, deixaram os carros na garagem.

A manhã foi, assim, reservada para as últimas afinações e melhoramentos que pilotos e equipas técnicas podem fazer nos carros antes do Vodafone Rali de Portugal começar. Alguns milhares de aficionados já marcaram presença quer nas bancadas do circuito, quer ao longo do troço que serpenteou alguns dos montes de Baltar.

A caravana competitiva partiu depois rumo a Guimarães para a partida oficial. Esta está agendada para as 18h10, junto ao castelo da cidade-berço de Portugal.

Cumprida a cerimónia protocolar, chega a hora do espectáculo. As equipas fazem uma ligação de 40 quilómetros e são postas à prova pela primeira vez em Lousada.

A super-especial de Lousada está marcada para as 19h01 e espera-se uma verdadeira multidão para o primeiro grande momento de espetáculo competitivo no Rali de Portugal 2016.

O francês Sébastien Ogier (Volkswagen) é líder do campeonato do mundo.

Candidato a igualar o recorde de cinco vitórias no rali português, pertença do finlandês Markku Alen, Ogier comanda o Mundial com 96 pontos, depois de ter vencido em Monte Carlo e na Suécia e ter sido segundo no México e na Argentina.

O Rali de Portugal tem 368 quilómetros cronometrados divididos por 19 classificativas, mais três do que no ano passado, apresentando como grande novidade a “Porto Street Stage”, uma especial-espetáculo de 1,85 km no centro da cidade do Porto a percorrer duas vezes, amanhã, no final do segundo dia competitivo.

A segurança é a grande preocupação da organização que preparou 36 zonas-espetáculo para o público, assinaladas com a cor verde. A operação envolve dois mil militares da GNR.

Na classificação do mundial de ralis a seguir Ogier (1º) e Paddon (2º) seguem-se o norueguês Mads Ostberg (Ford Focus RS), com 52 pontos e presenças no pódio na Suécia e no México, o seu compatriota Andreas Mikkelsen (VW), com 48, o espanhol Dani Sordo (Hyundai), com 44, e o finlandês Jari-Matti Latvala (VW), vencedor do Rali de Portugal no ano passado, com 27.

 

Programa completo do Rali em  http://www.rallydeportugal.pt/content.aspx?menuid=3