Por Rui Silva, Bancário

Depois da líder do CDS/PP ter dado o pontapé de saída nas Autárquicas de 2017, ao apresentar a sua candidatura à Presidência da Câmara Municipal de Lisboa, no que poderá ser considerado como o primeiro candidato com impacto a nível nacional, começaram a surgir outras apresentações, mais de carácter local, que estão a animar todo o Portugal de uma forma genérica e também Paredes, de maneira particular.

Neste capítulo, alguns ainda estão na fase das sondagens e contactos, quer dentro de “portas”, buscando candidatos ou candidatas, alguns já fora do período de validade politica, ou levantando a “crista”, para lá do Rio Douro, propondo-se reabilitar derrotados políticos, que já defenderam outras cores partidárias. Casos há até em que o desespero começa a tomar conta da tripulação, alguns já saltaram fora e outros estão prestes a seguir o mesmo caminho. Enfim, como se diz em gíria agrícola, foi colocar jornaleiros a feitores.

Temos até o episódio caricato de alguém que tomou posse de um cargo político num dia à noite, e no dia seguinte pela manhã, gritou alto e bom som que é candidato por outra força politica. Neste período de pré-campanha eleitoral antecipado, outros já se apresentaram à liça, e aqui o PSD Paredes, leva vantagem, pois até já tem galos a mais para o mesmo poleiro (…)

Leia o resto desta Opinião na edição em papel de 21 de Outubro ou subscreva a assinatura digital no nosso site.