Cristiano Ribeiro, Médico

Reproduzo a intervenção que fiz na Câmara Municipal de Paredes no dia 25 de abril de 2017.

Exmos Senhoras e Senhores, aqui presentes

Digníssimos Autarcas de Paredes e restantes Autoridades de Paredes 

Distintos cidadãos homenageados

Queridos familiares

Meus amigos e caros camaradas

Quis a Câmara Municipal de Paredes, na pessoa do seu Executivo Municipal, homenagear-me neste dia simbólico do 25 de abril, o Dia da Liberdade.  

Agradeço a deferência e o reconhecimento de um percurso ainda não acabado e de uma presença que sendo política foi também intervenção social e cívica. Sabia já das provas de amizade e respeito de muitos que aqui estão, que julgo ter já muitas vezes retribuído.  

Serei breve.

Nasci na freguesia de Rio Tinto, concelho de Gondomar, de uma família normal, aquilo que se chamaria hoje de classe média baixa, pai Armando comerciante e mãe Delfina doméstica, felizmente ainda vivos e aqui presentes. Da educação familiar e escolar (escola primária e liceu Alexandre Herculano) obtive os valores e ensinamentos que me moldaram em vida adulta como ser humano.

Terminado o curso de Medicina, entrei na vida activa e profissional e então cresci como cidadão com identidade e projecto. Os desafios do exercício da Medicina aproximaram-me do ser humano doente, dos problemas da deficiência, da disfuncionalidade, da vulnerabilidade. Nasceu uma expressiva consciência social.

 Ao mesmo tempo tive uma outra escola, comum a camaradas e amigos, (muitos dos quais permanecerão para sempre anónimos), de um colectivo que me ensinou que é possível um Mundo melhor, uma sociedade de igualdade e progresso. E que a contribuição individual, baseada no estudo e na coerência, mesmo que nem sempre reconhecida, pode sempre antecipar o Futuro.

Em 1990 cheguei a Paredes (….)

Leia o artigo de opinião completo na edição em papel de 12 de maio ou na edição eletrónica subscrevendo a assinatura digital no nosso site.