Uma mulher de 34 anos, natural de Besteiros, Paredes, deu entrada no hospital da Misericórdia de Paredes, na passada sexta-feira, dia 5, após ter alegadamente sofrido um aborto espontâneo. Os médicos desconfiaram da história e a viúva acabou por confessar que teve o filho em casa, na sanita, e que o tinha deixado na mala do carro.

A notícia deixou incrédula a população de Besteiros, Paredes. A mulher de 34 anos prestes a ter o filho deu à luz em casa, na sanita, colocando depois o recém-nascido na mala do carro para se dirigir ao hospital para receber assistência médica.

A população garante que a viúva escondeu a gravidez indesejada, contudo não acreditam que esta se quisesse desfazer do filho. Certo é que depois de ter dado à luz na sua própria casa, sentada na sanita, a mulher colocou o recém-nascido na mala do carro e rumou ao hospital da Misericórdia de Paredes, para receber cuidados médicos. Deixou a viatura estacionada nas redondezas do hospital e o bebé dentro da mala do carro.

Entrou no hospital e foi atendida por um médico de serviço a quem garantiu ter sofrido um aborto espontâneo. O médico desconfiou e pressionou a mulher, que acabou por confessar ter dado à luz e deixado o recém-nascido dentro da mala do carro.

Depois de confirmar a versão aos médicos, a mulher terá ainda dito que não sabia que estava grávida e que só se apercebeu da gravidez quando já se encontrava em trabalho de parto, sentada na sanita, em sua casa.

Apesar de em Besteiros a população não acreditar que a viúva de 34 anos se quisesse desfazer do bebe, o certo é que o médico suspeitou de imediato da história e pressionou a mulher a dizer onde tinha deixado o recém-nascido. Depois de localizarem o bebe, mãe e filho foram reencaminhados para o hospital Padre Américo, em Penafiel, onde ficaram em observação, a mãe no serviço de obstetrícia e a menina recém-nascida no serviço de nanopatologia.

Pelo que conseguimos apurar ambos já terão tido alta hospitalar e regressado a casa. O Ministério Público de Paredes e a GNR local estão a investigar o caso. Se a investigação concluir que a mulher terá propositadamente abandonado o recém-nascido na mala do carro, a viúva arrisca-se a ser acusada pelo crime de exposição e abandono, punível com uma pena de prisão que pode ir até aos cinco anos.