António Orlando – texto

Um dos exemplos de contratos “considerados simulados/fraudulentos” focados pelo relatório tem que ver com a adjudicação à empresa BBFORM – Consulting Braga, Lda, por “ajuste direto com consulta” da prestação de serviços de supervisão do Centro Escolar de Recarei, num montante de 39. 080,00 euros.

Neste caso a Câmara de Paredes convidou, além da empresa vencedora, – BBFORM – mais 4 empresas a apresentar propostas: a GUARDATOPO – Topografia e Engenharia Lda.; a DSE- Desenvolvimento de Soluções de Engenharia para Edifícios, Lda.; M5- Consultores de Engenharia, Lda.; e a BERNARDO & BERNARDO – Consultores Associados, Lda..

Sucede que as empresas GUARDATOPO – Topografia e Engenharia Lda, e a DSE- Desenvolvimento de Soluções de Engenharia para Edifícios, Lda, apesar de convidadas não vieram a apresentar propostas “por indisponibilidade”.

São várias as similitudes entre as empresas convidadas, o que se pode verificar do site https://publicacoes.mj.pt, e das consultas do organismo Europeu, desde logo se verfica que são/foram geridas/administradas/detidas, grosso modo, pelas mesmas pessoas.

Pode ler este artigo na integra na edição de 17 de fevereiro de O Progresso de Paredes ou na edição online reservada a assinantes.