A Orquestra da Fundação A LORD apresentou mais um concerto no Auditório A LORD, no passado dia 22, no âmbito do programa Outubro Musical. Oito dias após, fez-se silêncio para se ouvir fado de Coimbra.

António Orlando – texto

A Orquestra da Fundação A LORD apresentou mais um concerto no Auditório A LORD. Foi no dia 22, em mais um capitulo do programa Outubro Musical.

O reportório, composto por cinco músicas, espelhou a qualidade e a versatilidade instrumental dos jovens músicos perante uma plateia de 110 pessoas.

A segunda música intitulada “The Castle of Dr. Bassclar” teve como solista o clarinetista Frederic Cardoso.

A Orquestra da Fundação A LORD é um projeto musical criado em outubro de 2012. É composta por jovens instrumentistas de sopro, percussão e cordas. O seu concerto de apresentação teve lugar no dia 12 de julho de 2013, no Auditório da Fundação A LORD.

Aproveitando a tradição enraizada das bandas filarmónicas, esta orquestra, segundo A LORD pretende desenvolver com elas um trabalho complementar e alternativo. Tem também como objetivo evoluir para um processo de semiprofissionalização, numa lógica de interação com outros grupos quer em espaços ao ar livre, quer em auditórios ou salas de concerto. Pretende levar a cabo master classes com professores de reconhecido mérito artístico. Propõe-se, ainda, realizar concertos, convidando maestros e solistas, bem como participar em concursos nacionais e internacionais.

Neste âmbito, tem vindo a apresentar alguns concertos, participando, em 2014, no I Concurso Internacional de Bandas “Filarmonia D`Ouro”, organizado pela Academia Portuguesa de Banda em parceria com Cardoso & Conceição, conquistando o 2.º prémio na secção académica. Em 2015, obteve o 2.º prémio na segunda categoria, no II Certame Internacional de Bandas de Música Armónico, em Zamora, e o 1.º prémio, no II Concurso Internacional de Bandas “Filarmonia D`Ouro”, organizado pela Academia Portuguesa de Banda.

A Orquestra da Fundação A LORD tem como maestro e diretor artístico o professor Rui Leal.

Fado encerrou programa

Oito dias após o concerto da Orquestra da Fundação A LORD, fez-se silêncio no Auditório da Fundação A Lord para se ouvir fado de Coimbra.  A música que marca o ritmo do coração da cidade dos estudantes foi interpretada pelo Grupo Memórias de Coimbra.

Durante a época da Ditadura, a par dos movimentos políticos no seio da Universidade, também o Fado serviu de veículo de intervenção entre os estudantes. Nomes como Adriano Correia de Oliveira ou José Afonso adotaram as baladas como forma de expressão política, num tempo em que a palavra valia mais que mil armas.