António Orlando – Texto

O antigo diretor da Obra do Calvário, Padre Baptista, foi hoje condenado pelo Tribunal de Penafiel  a dois anos e nove meses de prisão suspensos por igual período por seis crimes de maus tratos a utentes da instituição situada em Beire, Paredes. O padre ficou ainda impedido de habitar na Obra do Calvário pelo período em que vigorar a suspensão de pena.

Recorde-se que o arguido estava acusado de 13 crimes de maus tratos e um crime de ofensa à integridade física. A cada crime de maus tratos correspondia uma alegada vítima. O tribunal no entanto não conseguiu produzir prova suficiente para o condenar em sete crimes que constavam da acusação. O padre Baptista saiu do tribunal rodeado de amigos e familiares.

Notícia com desenvolvimento na próxima edição do jornal O Progresso de Paredes de 31 de Março de 2017.