Manifestação. Os pais e encarregados de educação dos alunos do Centro Escolar reclamam mais funcionários para o estabelecimento. Como forma de protesto a escola foi fechada a cadeado e a GNR teve de intervir.

António Orlando – texto

O Centro Escolar (CE) de Gandra e Astromil é frequentado por cerca de 380 alunos, mas tem somente sete funcionários quando deveria ter 13. A falta de funcionários ao serviço é explicada por baixa médica de alguns e pela falta de colocação dos restantes.

“A Associação de Pais foi, como os professores, surpreendida pelos protestos. É um facto que existe falta de funcionários”, começou por explicar ao Progresso de Paredes, Nuno Santos, presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação do CE de Gandra e Astromil. O responsável esclareceu que na véspera tinha enviado cartas a denunciar o problema “a diversas entidades”, no caso, ao Ministério da Educação, Câmara, Juntas de Freguesia e Agrupamento de Escolas. “A única entidade que nos respondeu foi a Câmara. Foi-nos dito por telefone que a autarquia não tem responsabilidades no assunto porque a colocação de funcionários no 1º ciclo é do Ministério da Educação. No Jardim de Infância é a câmara que coloca os funcionários, mas aí a autarquia está a cumprir até em excesso. Seriam três, mas existem quatro. Há funcionários em número suficiente”, declarou.

Há quem fale em guerras partidárias (…)

Leia a noticia completa na edição em papel de 4 de novembro ou subscreva a assinatura digital no nosso site.