António Orlando – texto

A Policia Judiciária (PJ)  está a fazer buscas  em empresas de mobiliário de Paredes e Paços de Ferreira.

Há suspeitas de fraude fiscal e branqueamento de capitais. Dez pessoas foram detidas. Nove empresários e um contabilista.

Os arguidos têm idades entre 38 e 61 anos são suspeitos de “faturas de favor” e amanhã são presentes ao juiz de instrução criminal, no Marco de Canaveses.

O esquema passaria pela emissão de “faturas de favor”, sem qualquer transação associada, “com o objetivo de aumentar ficticiamente os custos e consequente não liquidação, entrega ou pagamento da prestação tributária devida, bem como evitar declarar vantagens patrimoniais”.

“Com estas condutas causaram diminuição das receitas tributárias em montante ainda não apurado, na que se antevê ser na ordem de vários milhões de euros, tendo tais ganhos ilícitos sido branqueados em sociedades criadas com esse propósito”, avançou um comunicado da força policial.

O inquérito é dirigido pelo Ministério Público de Paredes, em articulação com a Autoridade Tributária e Aduaneira, contando também com a intervenção do Gabinete de Recuperação de Ativos da Polícia Judiciária.

Noutra frente de combate ao crime, neste caso supostamente relacionado com tráfico de droga, a GNR está a fazer rusgas num edifício no lugar da Lage, em Rebordosa.