Educação. O documento aprovado pelo Executivo Municipal foi, na última reunião da Assembleia Municipal, levado ao conhecimento dos deputados municipais.

António Orlando – texto

Os Centros Escolares que são apontados no Plano Estratégico Educativo Municipal (PEEM) de Paredes como um dos pontos fortes a potenciar para inverter o atual cenário da educação no concelho, por outro lado, também são um problema “devido à complexidade de manutenção dos espaços” e à “falta de espaços cobertos para utilização dos alunos”. O PEEM aponta igualmente a degradação dos edifícios das escolas EB2,3/S e a falta de pessoal não docente.

A identificação dos atuais problemas no setor da educação e que carecem de resposta está plasmada no PEEM de Paredes levado a cabo por uma equipa formada no Conselho Municipal de Educação e que envolveu, para além dos técnicos da divisão de Educação do município, os diretores de agrupamentos de escolas e da escola secundária e a coordenadora do Centro de Emprego de Valongo, em representação do IEFP, com supervisão científica da Universidade Católica.

Segundo o documento, as elevadas taxas de retenção de Paredes, acima da média da Área Metropolitana do Porto na maioria dos anos escolares, a resistência à inovação e a pouca participação dos pais nas associações de pais e encarregados de educação e na vida das escolas são alguns dos problemas mais (…)

Leia a reportagem completa na edição em papel de 27 de setembro ou na edição eletrónica subscrevendo a assinatura digital no nosso site.