Saúde. “Apetecia-me perguntar à Fátima Lopes se sabe o que está a fazer? Não sabe o que está a fazer” desabafou licenciada em audiologia nas II Jornadas de Saúde de Paredes

António Orlando – texto

A televisão, sem mediação, é um perigo para os idosos. A ideia foi deixada por Maria Alexandra Salvador, licenciada em audiologia, nas II Jornadas de Saúde de Paredes que decorreram nos dias 3 e 4 de fevereiro no Auditório da Casa da Cultura.

A responsável chegou a dizer que às vezes apetecia-lhe perguntar a Fátima Lopes, a rainha das tardes televisivas, “se sabe o que está a fazer? Não sabe o que está a fazer. Está a enganar as pessoas. Não faça isso”, disse a propósito das promoções que são transmitidas em massa, sobretudo nos programas cujo público-alvo são os idosos indefesos que estão sozinhos em casa. No caso, a audiologista referia-se à promoção de aparelhos de audição.

“Uma vez chegou-me um senhor à clinica e disse: Doutora mandaram-me o aparelho para casa. Já viu? Meta-me aqui uma pilha para eu colocar já no ouvido”, relata.

“O aparelho logicamente era uma amostra” explicou à plateia das Jornadas de Saúde de Paredes.

Prosseguindo o relato que teve com o homem (…)

Pode ler este artigo na integra na edição de 17 de fevereiro de O Progresso de Paredes ou na edição online reservada a assinantes.