No passado dia 24 de julho foram apresentadas as listas do PSD pelo círculo eleitoral do Porto às próximas eleições legislativas, que será encabeçada por Aguiar Branco, atual Ministro da Defesa.

Na lista apresentada e aprovada na Distrital do PSD Porto, Paredes é despromovido do 11.º lugar para o 17.º nas listas do PSD e com a inclusão dos deputados do CDS devido a coligação “Portugal à Frente” passará para um lugar ainda mais distante, o 21.º. Este é o lugar que atribuído a Paredes caso não haja supressas de última hora.

A até aqui deputada paredense à Assembleia da República, Conceição Ruão perde entrada direta na casa da democracia portuguesa, caso se mantenha este cenário ao contrário de outros deputados do distrito como Emília Santos, deputada indicada pela Maia que passou do 14.º lugar para o 5.º lugar, ou Andreia Neto, deputada indicada por Santo Tirso que passou de 27.º lugar para 9.º, ambas agora à frente de Conceição Ruão.

A responsabilidade da indicação dos possíveis candidatos por Paredes, à Assembleia da República, é da concelhia do PSD Paredes que apesar de ser conhecedor da indicação da Nacional para o perfil dos possíveis candidatos, e que tinha sido aprovado no conselho Nacional e Assembleia Distrital do Porto, não os cumpriu.

As indicações que a Nacional tinha dado a todas as concelhias era deveriam indicar uma mulher e um homem mas a concelhia de Paredes preferiu indicar o nome de duas mulheres, contrariando assim as indicações dadas.

A indicação dos nomes de Conceição Ruão e Raquel Moreira, ex-vereadora do PSD e ex-candidata à Câmara Municipal de Paredes pelo PS (que acabou por não ser aprovada pela Comissão politica do PS Paredes), colocaram em causa a representatividade de Paredes na Assembleia da República.

 

Leia a notícia completa na edição em papel de 31 de julho ou subscreva a assinatura digital no nosso site.