Sérgio trabalhava no ramo comercial e ajudava a esposa, Cristina, nas feiras da região. Os dois jovens ambicionavam mais e com a quebra do negócio nas feiras resolveram procurar outras soluções. Em cinco anos expandiram o negócio, e hoje contam com duas lojas de vestuário, em Valongo e Paredes. O segredo do negócio, garantem, está nos preços baixos, na simpatia e relação com o cliente.

 

Sérgio Almeida, de 36 anos, era comercial na empresa Coolnex e nas horas depois do trabalho ajudava a esposa Cristina Magalhães a vender roupa de criança nas feiras. Cristina sempre foi feirante e Sérgio também lhe ganhou gosto.

Faziam as grandes feiras da região, Valongo, Ermesinde, Gondomar, S. Martinho de Campo, Sobrado, mas o negócio começou a quebrar e por isso resolveram procurar alternativas. “Resolvemos correr o risco e abrir uma loja. O negócio nas feiras começou a quebrar muito e como tínhamos visto um espaço para alugar em Valongo resolvemos arriscar”, conta Sérgio.

 

 

Leia a notícia completa na edição em papel de 24 de outubro ou subscreva a assinatura no nosso site.