Entrevista a Conceição Bessa Ruão, ex- deputada do PSD e candidata a candidata às autárquicas

António Orlando – texto

Já são dois, os candidatos a candidatos do PSD à Câmara de Paredes para as próximas eleições autárquicas. Depois de Rui Moutinho, chega-se à frente Conceição Bessa Ruão. A ex-deputada à Assembleia da República diz que se sente apoiada pela população com quem se cruza e que o apoio do partido e dos militantes tem que ser conquistado. Se o partido escolher outro militante, o eleito terá de ser melhor que ela, caso contrário, Conceição Ruão, garante que avançará com uma candidatura independente. “Granja da Fonseca é passado”, considera a social-democrata em entrevista ao Progresso de Paredes. Conceição Bessa Ruão não entende porque é que Pedro Mendes, presidente da Concelhia não se assume como candidato.

Progresso de Paredes (PP) – A Conceição Bessa Ruão fez saber que, à semelhança de Rui Moutinho, também é candidata à presidência da Câmara pelo PSD. O que é que a faz correr?

Conceição Bessa Ruão (CBR) – É sentir que Paredes precisa de alguém que olhe para o concelho, para as suas pessoas, para os seus empresários e seja capaz de responder às necessidades de uns e de outros. Esta dimensão necessita de alguém que olhe com humanidade e sensibilidade para estas pessoas. Esta sensibilidade e a diferença diz-me que sou a mulher certa para o lugar certo para este concelho que precisa de muita humanidade.

PP – A candidatura é para levar até ao fim?

CBR – Sim, claro.

PP – Para ir a votos nas autárquicas?

CBR – Sim para ir a votos. Já o assumi. Não tenho dinheiro para gastar em campanhas. Não há problema nenhum. A minha campanha há-de ser feita com três pares de sapatilhas. Dois já tenho. Falta comprar um par que (…)

Leia a entrevista completa na edição em papel de 21 de Outubro ou subscreva a assinatura digital no nosso site.