400 idosos nas Marchas populares de S. João

Foram 11 as instituições de solidariedade social que marcaram presença nas marchas populares de S. João. Promovida pelo Centro Social e Paroquial de Baltar, em parceira com o Movimento Sénior da câmara municipal de Paredes, a atividade juntou cerca de 400 idosos numa tarde de convívio, música e diversão.  

O salão dos bombeiros voluntários de Paredes encheu para receber a comunidade sénior do concelho de Paredes numa animada tarde de convívio e muita música. Cerca de 400 idosos de 11 instituições de solidariedade social marcaram presença nas Marchas de S. João 2014, no passado dia 24 de junho.

À semelhança do que vem acontecendo nos últimos anos o Centro Social e Paroquial de Baltar, em parceira com o Movimento Sénior da câmara municipal de Paredes, proporcionou uma tarde diferente aos idosos do concelho, onde não faltou o tradicional bailarico, as sardinhas assadas e os manjericos.

DSC_0093

As marchas de S. João deste ano contaram com a participação de 11 instituições do concelho, mais duas do que na edição anterior. A atividade teve início pelas 14h30 da tarde e a primeira instituição a desfilar foi o Centro Social e Paroquial de Baltar, organizador do evento. Seguiram-se os desfiles da Associação para o Desenvolvimento Integral da Sobreira (APDIS), Associação para Desenvolvimento Integral de Lordelo (ADIL), Associação para Desenvolvimento de Rebordosa (ADR), a Santa Casa da Misericórdia de Paredes e a Casa do Povo de Bitarães, o Centro Social de Cete e Recarei, o Centro Paroquial S. Miguel de Gandra, o Centro Socioeducativo de Parteira e o Centro Social de S. Pedro da Sobreira.

Vestidos a rigor, acompanhados de música e com a coreografia devidamente ensaiada, os idosos das 11 instituições fizeram jus ao espírito dos santos populares e animaram a tarde. A avaliar as prestações dos participantes estava um júri composto por 13 elementos, um representante de cada uma das instituições, a presidente da junta de freguesia de Baltar, Conceição Rosendo, e a professora Madalena Casaca.

No concurso das marchas populares de S. João as instituições foram avaliadas em três critérios, música, roupa e coreografia. Já que este ano participaram mais duas instituições do que na edição passada a organização juntou aos três prémios habituais do concurso dois títulos especiais, um primeiro prémio para a instituição que conseguisse melhor pontuação nos três critérios da prova e um segundo para aquela que se distinguisse em pelo menos dois dos critérios.

E porque não só de sardinhas se faz o S. João, mas também de música, este foi o primeiro critério a ser avaliado pelo júri do concurso. O Centro Social e paroquial de Baltar e o Centro Socioeducativo de Parteira foram as duas instituições premiadas nesta categoria. Receberam, respetivamente, o primeiro e segundo prémio.

DSC_0035

Vestidos a rigor com as cores da própria instituição a APDIS recebeu o primeiro prémio por apresentar a melhor roupa. O centro social de S. Pedro da Sobreira conquistou o segundo lugar e a ADIL o terceiro nesta categoria.

No último critério do concurso, a coreografia, venceu a ADR, tendo o Centro Social de Cete apresentado a segunda melhor coreografia. O centro social de Recarei encerrou o pódio, conquistando a terceira posição nesta categoria.

Os dois prémios especiais foram entregues a Gandra, Paredes e Bitarães. A reunir a melhor pontuação nos três critérios de avaliação da prova (música, roupa e coreografia) o Centro Social e Paroquial de S. Miguel de Gandra recebeu o primeiro prémio especial pela distinção nas diferentes categorias. A Santa Casa da Misericórdia de Paredes e a Casa do Povo de Bitarães, que participaram em conjunto no concurso, receberam o segundo prémio especial pela distinção em pelo menos dois dos critérios da prova.

A tarde terminou com um lanche convívio entre todos.