Alunos da Secundária de Baltar fizeram greve “contra falta de condições”

Centenas de alunos manifestaram-se em protesto frente ao portão da Escola Secundária Daniel Faria, onde, denunciam, reina o medo. Medo do amianto que existe “do teto ao chão”, medo da “droga e armas brancas” que entram na escola. 

 A insegurança, descrita pelas ameaças a professores e alunos, vem de mãos dadas com a falta de auxiliares, problema com que se defrontam muitas escolas a nível nacional.

Os estudantes alertaram também para a falta de aquecimento, o que os obriga a levar mantas para se aquecerem, e para a degradação das infraestruturas do estabelecimento. Paredes rachadas, humidade e infiltrações são alguns dos exemplos deixados pelos alunos da Daniel Faria, “única escola deste concelho no distrito de Porto, que não teve obras até hoje”, dizem.

Leia a notícia completa na edição em papel de 17 de janeiro ou subscreva a assinatura digital no nosso site.