António Silva é o novo Presidente da JSD Paredes

António Silva foi eleito no dia 16 de dezembro, o novo Presidente da Juventude Social Democrata. Jorge Oliveira, Presidente cessante da estrutura partidária, assumirá o cargo de Presidente da Mesa do Plenário. Os novos órgãos da Juventude Social Democrata de Paredes representados por 18 jovens militantes eleitos, asseguram uma significativa renovação da estrutura. A eleição ocorreu na sede do partido, tendo ambos obtido 25 votos a favor, 0 brancos e 0 nulos.

Em entrevista ao nosso jornal, o jovem político natural de Vilela destaca que a “minha candidatura à liderança da JSD Paredes surge da necessidade de uma intervenção efetiva na política atual, que é percebida por muitos como responsável por comprometer o futuro. A confiança da nova geração precisa ser reconquistada, e acredito que a minha experiência autárquica, política e pessoal é ideal para este momento da JSD. Baseio a minha candidatura em cinco pilares fundamentais: Ecossistema Participativo, Conexão Digital Ampliada, Militância Humanizada, Universidade de Ideias e Equipa Alinhada”

Com uma experiência que conta já com 8 anos de militância e 6 anos de trabalho autárquico, António Silva afirma que “nunca procurei desempenhar funções visando a minha potencialização pessoal. O meu compromisso com o partido é guiado pela vontade de servir e contribuir. Vivendo do meu trabalho e não dependendo da política, encaro cada cargo que desempenhei como resultado natural do meu empenho”.

Quando se aborda o estado da juventude em Paredes, garante que esta “reflete, em grande parte, as dificuldades enfrentadas pela juventude no país. Precariedade no trabalho, salários abaixo das expectativas, obstáculos à emancipação e emigração são realidades comuns. Há uma clara falta de transportes, agravada pela entrada em funcionamento da UNIR. A prometida Casa da Juventude, projeto iniciado pela JSD Paredes e adiado pelo executivo camarário, é crucial para apoiar efetivamente os jovens do concelho”. Finaliza citando Winston Churchill “É inútil dizer «estamos a fazer o possível». Precisamos de fazer o que é necessário”.

Atualmente na oposição camarária, o Partido Social Democrata pode e deve “destacar-se”, segundo António Silva “abordando os problemas não resolvidos e a preocupante dívida municipal. É fundamental transmitir a realidade, mostrando que, apesar das aparências, existem questões graves a serem enfrentadas. Estou certo que Paredes é um concelho de direita e que as pessoas se regem pela meritocracia. Estou também certo que as próximas eleições legislativas de março e a mudança de paradigma político poderá ter influência futura a nível autárquico. As prioridades na forma como se pensa uma sociedade são a grande diferença entre o PSD e a atual governação socialista. Queremos resolver o problema das pessoas, águas pluviais, carga fiscal mais atenuada, incentivos aos jovens empresários, transportes públicos eficientes. E isso em Paredes claramente não existe”.

Por sua vez, Jorge Miguel Oliveira cessa funções e recorda “4 anos a liderar a melhor e maior estrutura de juventude partidária do concelho de Paredes. A JSD é, por excelência, uma casa da democracia, da lealdade e da honestidade”.