Em Paredes, Alexandre Almeida garante ter sensibilizado a Secretária de Estado da Educação para a necessidade de fecho das escolas de Paredes caso se agravem as condições de propagação do COVID-19 no concelho.

Orlando – texto

O Presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, Humberto Brito, formulou aos Ministros da Saúde e da Educação, um pedido para o encerramento de todas as escolas do concelho, no âmbito das medidas excecionais para prevenção da propagação do surto epidemiológico COVID-19.

O pedido formulado na passada segunda-feira, nove de março, fundamentou-se no facto de existirem dezenas de alunos, professores e colaboradores provenientes dos concelhos de Lousada e Felgueiras, a que acresce uma enorme preocupação por parte dos pais e de toda a comunidade.

Como até ao final da manhã desta quarta-feira não recebeu qualquer resposta, o município pacense diz aguarda pela reunião agendada para esta tarde do Conselho Nacional de Saúde Pública, durante a qual a questão do encerramento das escolas estará em cima da mesa.

“Caso não seja decretado, por parte do Governo, o encerramento das escolas, a Câmara Municipal, ainda hoje, determinará o encerramento das mesmas”, pode ler-se em comunicado emitido pela autarquia pacense.

“Conscientes da absoluta necessidade de prevenir o alastramento desta epidemia, continuaremos totalmente empenhados naquilo que neste momento é mais importante: assegurar a saúde e a proteção, a todos os níveis, da nossa população”, acrescenta a fonte.

Em Paredes, o autarca Alexandre Almeida garante ter sensibilizado a Secretária de Estado da Educação, Susana Amador, para a necessidade de fecho das escolas de Paredes caso se agravem as condições de propagação do COVID-19 no concelho.

Almeida encontrou-se ontem em Lisboa com a governante no âmbito do acordo de pareceria do Ministério da Educação com o município paredense para a retirada do amianto nas coberturas dos passadiços das escolas secundárias de Baltar e Vilela.