Morte deu à tona no rio Sousa

António Orlando – texto

Mais uma descarga poluente no rio Sousa sobressaltou os habitantes da zona ribeirinha do concelho de Paredes, que se mostram revoltados com aquilo que consideram ser a “ausência de respostas”, face às sucessivas denúncias que fazem às autoridades.

As descargas são frequentes, garante a população que convive diariamente com o “Sousa”.

Alguns dos peixes mortos que deram à tona da água foram recolhidos por populares e colocados na via pública numa espécie de exposição denúncia.

Em nota dirigida às redações, a câmara de Paredes garante que “já denunciou este crime ambiental às autoridades competentes: Serviço de Proteção da Natureza (SEPNA) – GNR e a APA – Agência Portuguesa do Ambiente”, mostrando-se “empenhada na descoberta da origem da descarga criminosa ocorrida na tarde de ontem, 3 de setembro, no Rio Sousa, em Paredes.

Leia a notícia completa na edição em papel de 11 de setembro ou na edição eletrónica subscrevendo a assinatura digital no nosso site.