O nosso objetivo é promover o desporto e a saúde

O ginásio Fitin Health Club foi inaugurado em abril de 2006 e continua a crescer desde essa data. Há cerca de um ano que os irmãos Nuno e Miguel Silva e o amigo Hélder Duarte embarcaram neste projeto. Neste momento o principal objetivo é tornar o Fitin uma marca de referência em Rebordosa. Nuno Silva garante que o lema é promover o desporto e a saúde junto dos mais variados públicos, sempre com a maior variedade de serviços e com o melhor atendimento.

Porque a qualidade está na formação e na busca do melhor, estes três jovens licenciados em Educação Física, procuraram criar o seu próprio emprego, uma vez que lecionar a disciplina nas escolas, neste momento, é quase impossível.

“Acabei o meu curso na área do desporto e queria seguir na área. Dada a impossibilidade de lecionar nas escolas decidi juntar-me a este projeto juntamente com o meu irmão”, sustenta Nuno Silva um dos responsáveis pela empresa, acrescentando, “o negócio não tem corrido mal, pois temos tentado adaptar-nos às dificuldades inerentes à economia que nos rodeia, procurando sempre mais e melhor”.

 

“O balanço é positivo, mas nós queremos mais”

O negócio neste momento está sobre carris. Cada um dos sócios tem bem delineadas as funções na empresa e tentam sempre que o cliente encontre no espaço o que procura. Para isso dispõe de um vasto de modalidades e serviços, que abrangem diferentes públicos e horários variados para agradar a um maior número de pessoas.

“É importante ter um leque variado de aulas para atrair os clientes. Além de oferecermos mais de 30 aulas de grupo semanais temos um horário muito diversificado”, garante o jovem.

Para estes jovens empreendedores o dinamismo é fundamental no negócio. A variedade é a chave para conquistar os clientes, que procuram o melhor na relação qualidade preço. “O que atrai os clientes são as condições e a grande variedade de modalidades. O nosso objetivo é fazer com que eles se sintam bem cá, tornando-o num ginásio familiar. Na relação qualidade preço somos o ginásio na zona que mais condições tem” reforça Nuno, garantindo que marcam a diferença pela “simpatia e relação de proximidade com os clientes. Temos alguns que estão connosco desde a abertura”, acrescenta.

Apesar das dificuldades que existem em qualquer negócio, estes jovens impõe objetivos concretos para o projeto. As principais dificuldades estão relacionadas com os encargos fiscais da empresa, que exige muito investimento e requer grande capacidade de gestão.

 

“O que atrai os clientes são as condições e a variedade de modalidades”

“Gerir um ginásio neste momento é bastante difícil e a ginástica tem que ser muito grande. A margem de lucro é muito reduzida, pois somos uma empresa de prestação de serviços e os encargos com o IVA são muito grandes. Outra das dificuldades que os ginásios têm sentido ultimamente é a concorrência desleal feita pelas juntas de freguesia e associações culturais, que tomaram conta das escolas desativadas do concelho, e iniciaram aulas de fitness a preços muito simbólicos”, lamenta Nuno Silva.

Numa conjuntura de crise económica e de redução de despesas no orçamento familiar procura-se sempre o mais barato de melhor qualidade. Hoje os clientes “comparam muito os preços e o ginásio é muitas vezes a primeira coisa a cortar”. Para Nuno isso resulta num “desinvestimento na saúde e não num luxo como muitos consideram. Para ter um exemplo concreto, um aluno sénior tomava 14 comprimidos diários, já só toma 4. Posso dizer que o que ele gastava em medicação por mês dá para pagar meio ano de ginásio”.

 

“Temos clientes desde os 5 aos 70 anos de idade”

O jovem empresário lamenta a ideia errada que grande parte das pessoas tem do negócio e sustenta que fazer ginásio é muito mais do que querer emagrecer. “Hoje em dia ainda existe muito a ideia de que o ginásio é só para quem quer emagrecer. Um dos benefícios da atividade física é a redução do colesterol, e muitas pessoas que têm colesterol são magras. O objetivo é promover o desporto e a saúde e é essa a mensagem mais importante a passar às pessoas. Para isso avaliamos individualmente cada cliente, através de uma anamnese desportiva e avaliação física, e mediante os seus interesses, motivações e limitações, prescrevemos o exercício adaptado a cada um”.

No nosso espaço existem várias modalidades ao dispor do cliente, como musculação, cardiofitness, fit bike, Fight do, X-55, Power, U-bound, Fit Circuit, Dance Kids, Ballet, zumba e sanda (arte marcial de onde advém o kickboxing) e procuram variar ainda mais. Este mês a novidade será a dança do ventre. No que toca ao público, a idade pode variar muito, dependendo da atividade, mas mesmo os mais velhos têm a oportunidade de participar em aulas especificamente para seniores.

“Temos clientes desde os 5 aos 70 anos de idade. Tentamos abranger toda a família, desde os avós aos netos. Iniciamos em setembro aulas para séniores e tem sido um sucesso, contando com quase 50 alunos. As aulas para crianças sempre foram uma prioridade, a turma de ballet é uma referência tal como as aulas de dance kids. Além do vasto leque de opções temos ainda um espaço de saúde onde trabalham connosco uma fisioterapeuta, uma podologista e uma nutricionista que nos ajudam nessas áreas que se interligam com o interesse e necessidades dos nossos clientes”.

O futuro apesar de incerto pode ser promissor. Para os empresários o percurso pode ser tenebroso, mas “com dedicação e empenho o sucesso está garantido”. É nisso que acreditam e que consideram ser possível, porque o espírito é positivo e a vontade é de conseguir sempre mais.