A CDU ajudou o PSD a aprovar, em Assembleia Municipal, o Orçamento da Câmara de Paredes para 2017. Ao invés, o CDS e o PS votaram contra. Uma outra novidade da votação foi o voto contra de um Presidente de Junta, no caso da freguesia de Vandoma.

António Orlando – texto

O Orçamento da Câmara de Paredes para o próximo ano tem uma dotação global de 63 milhões de euros. São 5 milhões de euros a menos relativamente ao ano anterior. A Receita Corrente, segundo a contabilidade de Celso Ferreira, atingirá os 40 milhões de euros com uma Despesa Corrente de 36 milhões acrescida de mais três milhões das amortizações bancárias. A Receita de Capital prevista ultrapassa os 22 milhões de euros.

Não é que o PSD necessitasse de ajuda para aprovar a mais importante das decisões da gestão autárquica – é a força maioritária na Assembleia Municipal – , porém não deixa de ser pouco comum os Comunistas aprovarem um orçamento do PSD. Uma espécie de geringonça à moda de Paredes.

“Não sei se faz bem, ou se faz mal (…)

Leia a notícia completa na edição em papel de 7 de Outubro ou subscreva a assinatura digital no nosso site.