Coronavírus. O pico da pandemia da Covid-19 pode já ter passado, mas o número de infetados continua a subir em todo o país. Paredes não é exceção. Nos últimos quinze dias houve, em média, um novo caso por dia.

António Orlando – texto

O facto é tanto mais preocupante porque há suspeita de que uma nova onda de infeções pode estar por dias. Surtos na grande Lisboa, no Algarve e agora em Cinfães, num lar de idosos, colocaram as autoridades em alerta. Lá por fora, na China, o pânico instalou-se de novo, agora na capital Pequim.

Em Paredes, em média, há um novo caso de infeção por dia. Nos últimos quinze dias a Direção Geral de Saúde (DGS) contabilizou mais 16 casos.

Os números revelados pela DGS no dia de fecho desta edição, quarta-feira, 17 de junho, contabilizavam 355 casos de infeção por covid-19 no concelho de Paredes. Quinze dias antes, a 3 de junho, havia 339 casos de infeção pelo novo coronavírus.

No concelho, o histórico da DGS regista 330 casos a 20 de maio, 305 infeções a 6 de maio, 236 a 22 de abril e 113 contagiados a 8 de abril.

Depois de em abril ter-se registado uma subida acentuada de casos de infeção pela covid-19, agora pela evolução dos números percebe-se por um lado que em maio, houve uma redução acentuada de novos casos e agora, na segunda quinzena de junho, os sinais apontam para uma nova subida. Espera-se que seja uma exceção que confirme a regra de que o pior já passou e que não voltará.

Segundo o boletim epidemiológico de 17 de junho, na região a DGS contabilizava os seguintes casos de infeção por covid-19: Gondomar 1093 casos (174.159 habitantes) ; Valongo 762 (93.858 hab) ; Felgueiras 409 (58.065 hab); Paredes 355 (86.854 hab) Lousada 347 (47.387 hab); Paços de Ferreira 315 (56.340 hab), Penafiel 177 (72.265 hab); Amarante 102 (56.264 hab) e Marco de Canaveses 96 (53.450 hab).

A aplicação de medidas de higiene, designadamente das mãos, e o afastamento social são regras para manter no dia a dia.