Oito concelhias do Partido Social Democrata (PSD) do Baixo Tâmega e do Vale do Sousa, exigiram hoje ao Governo um “forte investimento” em obras de ampliação do Centro Hospitalar do Tâmega (CHTS). A exigência surge na sequência da atual situação de “caos e desespero”.

“Exige-se que, no âmbito dos fundos europeus que chegarão ao nosso país nos próximos meses, o senhor primeiro-ministro assegure que será realizado um forte investimento na ampliação e reorganização do CHTS, adequando a capacidade de resposta desta infraestrutura às necessidades da região”, afirmam as estruturas do PSD de Amarante, Baião, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Paredes e Penafiel.

O Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, que serve meio milhão de habitantes, é constituído pelos hospitais Padre Américo, em Penafiel, e São Gonçalo, em Amarante, mas, segundo o PSD, a segunda unidade está “escandalosamente subdotada de valências e de recursos materiais e humanos” e que assim não fosse “poderiam fazer a diferença no contexto do Centro Hospitalar”, lamentam.

O PSD faz notar, por outro lado, que “foi totalmente ignorada pela ministra da Saúde e por todo o Governo”, uma resolução parlamentar – aprovada também com os votos do PS, principal partido de suporte do executivo – instando o executivo a resolver estes “problemas urgentes”. “Perante os sucessivos apelos, nada foi feito. E os autarcas e deputados socialistas da região vão-se mantendo envergonhadamente calados, compactuando com a falta de ação do Governo nesta matéria”, acusa.

As oito concelhias sublinham que “a recente solução de esvaziamento das urgências através da transferência de doentes [não covid} para outras unidades hospitalares apenas mascara temporariamente a situação de caos e desespero”.