O Centro Hospitalar Universitário de São João, no Porto, recebeu, entre outubro e novembro, 175 doentes covid-19 do Tâmega e Sousa, 58 dos quais ficaram internados e 17 em cuidados intensivos, revelou hoje fonte do hospital.

O Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ) recebeu na urgência, entre 01 de outubro e 06 de novembro, 1.994 doentes provenientes de Penafiel, zona apoiada pelo Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) que chegou a registar 10% dos internamentos covid-19 a nível nacional.

Desses quase dois milhares de doentes, 175 testaram positivo à covid-19, tendo ficado 58 internados, dos quais 17 em cuidados intensivos.

“À data de hoje, ainda se encontram internados no Hospital de São João 29 doentes covid-19 positivos do CHTS”, precisa o CHUSJ.

Fonte daquele hospital do Porto descreveu que numa altura em que a região Norte “se encontra a atravessar um período particularmente difícil na resposta à pandemia, este esforço das equipas de profissionais visa uma entreajuda entre instituições de saúde, numa estratégia em rede do Serviço Nacional de Saúde, no sentido de defender o interesse dos mais vulneráveis”.

“O Hospital de São João tem recebido doentes do CHTS com infeção a covid-19, mas também com outras patologias, especialmente as mais complexas e com necessidade de cuidados mais diferenciados. Estes doentes têm chegado ao Hospital de São João por meios próprios, transportados pelo INEM ou transferidos entre instituições hospitalares”, explica a fonte.

Dos 1.994 doentes acolhidos, o que corresponde a cerca de 54 por dia, 644 ficaram internados, 101 dos quais em cuidados intensivos.

Há data de hoje, o CHUSJ tem internados 126 doentes com diferentes patologias provenientes da região do Tâmega e Sousa, dos quais 26 em intensivos.

Também o Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho (CHVNG/E), que na semana passada revelou estar a preparar 20 camas para acolher doentes covid-19 provenientes do CHTS, acolhe hoje 13 positivos do Tâmega e Sousa. “No fim de semana registámos 18 [provenientes do Tâmega e Sousa]”, revelou a fonte.

Em causa está a transferência de doentes entre hospitais, sendo que a região do Tâmega tem sido alvo de preocupações devido ao aumento de casos de infeção pelo novo coronavírus.

A 3 de novembro, o CHTS registava 235 internados covid-19, dos quais 11 em cuidados intensivos.

Na sexta-feira, em conferência de imprensa, a ministra da saúde, Marta Temido, admitiu que o “hospital de Penafiel [que pertence ao CHTS] está numa área que geograficamente está no centro do furacão neste momento”.