Triunfo milimétrico dá titulo a Rui Costa na “Estrada” de Paredes

Ciclismo. O novo Campeão Nacional de Estrada bateu o portista Daniel Mestre num sprint emocionante. No pódio houve dois ciclistas da W52/FC Porto, com Francisco Campos a terminar em terceiro.

António Orlando c/ FPC – texto

Rui Costa (UAE Team Emirates) sagrou-se campeão nacional de fundo, a ao bater neste domingo, em Paredes, Daniel Mestre (W52-FC Porto), por escassos centímetros. No pódio houve dois ciclistas da W52/FC Porto, com Francisco Campos a terminar em 3º, a 28 segundos do vencedor. Luís Gomes e Frederico Figueiredo completaram o top 5.

A competição, com início e final na cidade de Gandra, ficou marcada por uma intensa luta tática entre as principais equipas, que envolveram os respetivos chefes-de-fila nas movimentações principais, desde muito cedo.

Na última volta, a pouco mais de 5 quilómetros da meta, Rui Costa desferiu um ataque. Apenas Daniel Mestre conseguiu responder. Os dois mantiveram-se unidos até ao final, oferecendo um excelente espetáculo na reta da meta, uma subida exigente.

Rui Costa venceu com um tempo total de 4h04m05s (média de 40,700 km/h), com poucos centímetros de vantagem sobre Daniel Mestre. Francisco Campos (W52-FC Porto), que estivera em fuga solitária, em trabalho para a equipa, ainda teve forças para fechar o pódio, a 28 segundos dos dois primeiros.

“Correr em Portugal não é fácil, apesar de virmos com muito mais ritmo competitivo. Foi uma prova muito bem disputada, sempre num ritmo alto. Vi que o Daniel Mestre estava forte logo no momento em que nos unimos ao grupo da frente. Quando ataquei, o Daniel veio comigo e ficámos juntos até ao fim. Voltar a correr além-fronteiras com a camisola de campeão nacional é muito importante e um grande orgulho”, afirmou Rui Costa.

“Se o Rui Costa viu que eu estava forte eu também percebi que ele estava muito bem, como sempre está. Vim com ambição de lutar pela vitória. A nossa equipa tinha superioridade numérica, o Rui tem a vantagem de chegar com mais dias de competição. As condições eram ela por ela. Foi uma luta até ao fim e há que dar os parabéns ao vencedor. Nos campeonatos nacionais os piores lugares são o segundo e o quarto, o que fica atrás do vencedor e o que não ganha qualquer medalha. Coube-me o segundo, mas sendo atrás do Rui Costa dá-me motivação para as próximas competições”, resumiu Daniel Mestre.

À margem dos Nacionais de Estrada a Federação Portuguesa de Ciclismo apresentou em Paredes uma edição especial da Volta A Portugal em Bicicleta que se vai realizar de 27 de setembro a 5 de outubro.

O concelho de Paredes vai ser palco da partida da segunda etapa que, no dia 29 de setembro, vai unir o concelho de Paredes a Mondim de Basto, terminando na icónica Senhora da Graça.