Publicado por António Orlando

A GNR apreendeu uma tonelada de tabaco em bruto e 40 mil cigarros na operação com o nome de código “Traveler”, que incluiu a realização de 58 buscas repartidas por três concelhos do Norte.

Ainda durante a ação, desenvolvida na segunda-feira pelo Destacamento de Ação Fiscal do Porto da GNR, foi detido um homem, por posse de arma proibida, e 10 outros foram constituídos arguidos.

Mobilizando 97 militares da GNR e contando com o apoio da PSP, as 58 buscas foram realizadas em domicílios, garagens, viaturas, estabelecimentos e armazéns, em Paredes, Gondomar e Vila Nova de Gaia, que permitiram apreender 959 quilos de folha de tabaco em bruto e de corte fino, 40 mil cigarros, sem estampilha fiscal, além de oito máquinas de corte de tabaco, pulverizadores e diversos outros utensílios utilizados para a manufaturação de cigarros, cinco balanças utilizadas na pesagem do tabaco, 24 telemóveis, computadores e periféricos, uma arma de fogo e 16 mil euros em numerário.

A operação agora levada a efeito foi o culminar de uma investigação que já decorria há cerca de um ano para “colocar termo” a uma rede de fazia cigarros para comercialização ilícita, recorrendo para tal a folhas de tabaco contrabandeadas a partir de Espanha “de forma organizada e reiterada”.

No âmbito dessa investigação, a GNR tinha feito anteriormente 17 outras detenções.

Tinha procedido também à apreensão de 4,6 toneladas de folha de tabaco em bruto e cerca de 294 quilos de tabaco já triturado, com valor estimado de um milhão de euros.

“Estima-se que a atuação desta rede lesou o estado em mais de 800 mil euros, por evasão ao pagamento de impostos diretos e indiretos, designadamente ao Imposto Especial Sobre o Consumo de Tabaco”, segundo contas do Destacamento de Ação Fiscal do Porto.