Na tarde de sábado, dia 30 de setembro decorreu na Casa da Cultura de Paredes a apresentação do livro “Prestar tributo a quem o povo nunca esquece” de Gastão Moreira.

A apresentação do livro ficou marcada pela homenagem do escritor a mais de 100 personalidades que foram e que continuam a ser relevantes em Paredes. 

A pedido de Gastão Moreira, a Vereadora da Cultura, Beatriz Meireles foi responsável pela condução da conversa e apresentação do projeto. Foi também a autora do tributo número 126.

O filho de Gastão Moreira, Jorge Lameiras, Mário Pacheco, biólogo, e João Vieira, Colaborador do Município de Paredes foram os três oradores que se juntaram para fazer a sua avaliação e perspetiva do livro.

Foram convidados a estar presentes na cerimónia familiares dos protagonistas dos tributos e ainda foi entregue um exemplar da obra, um a um, a todos eles.

Gastão Moreira, residente em Paredes desde 1965, foi militar do Exército e Investigador da Polícia Judiciária Militar. Possui 11 Louvores e já foi condecorado com as Medalhas de Bronze, Prata, Ouro e Mérito Militar, pela sua conduta e serviços extraordinários prestados ao Exército e à Polícia Judiciária Militar. Foi distinguido pela Câmara Municipal de Paredes com a Medalha de Mérito do Concelho, em 2018. E as medalhas que já recebeu pelo seu serviço aos Escoteiros são inúmeras. 

“Não fiz um livro comercial, isto é a biografia das pessoas” 

 

E por ter essas tantas medalhas, quando em 2018 lhe sugeriram a Medalha de Ouro, recusou, conta “Queriam dar-me a medalha de ouro e eu disse não. Aquilo que faço, faço. Mas faço sem qualquer interesse. A medalha de mérito é para aquilo que as pessoas merecem, é receber algo pelo mérito prestado, pelo serviço prestado aos outros, ou a qualquer outra causa. E assim foi que a primeira medalha de Mérito do Concelho foi atribuída a mim, em 2018”. 

Mas um homem que tem vindo a ser reconhecido, sentiu há muitos anos a vontade de reconhecer os seus pares. E foi nesta altura da sua vida que surgiu a oportunidade de se tornar colunista n’O Progresso de Paredes. 

“O meu sonho era escrever e queria satisfazer o meu sonho que era escrever sobre o povo de Paredes que já partiu e que gostava de fazer um tributo, prestar um tributo a tanta gente boa”, explica.

Começou então a escrever desde essa altura até 2022, sempre de 15 em 15 dias.

A ideia inicial seria escrever 100 artigos, mas acabou por incluir mais 26 tributos para incluir num livro, que já tinha ideia de lançar. 

 

Sobre o conteúdo do livro garante que “Não fiz um livro comercial. Isto é a biografia das pessoas, um registro de pessoas que foram muito importantes cá em Paredes, por quem eu tenho um grande apreço. Convivi com todas elas. Foram pessoas muito minhas amigas e eu amigo delas, houve uma relação muito grande entre todos. E muitos mais que eu gostaria de ter no livro e que não tenho.”

Gastão Moreira escolheu todos e cada um dos tributos que foram saindo quinzena após quinzena no jornal, sem recomendações de ninguém, todas estas pessoas eram suas conhecidas e marcaram de alguma forma a sua vida e muito marcaram a história do concelho de Paredes. 

E ver o reconhecimento destes tributos e da sua ideia, no gesto da Câmara Municipal em apoiar o lançamento do seu livro é um motivo de grande orgulho, que se nota ao conversar com o escritor. 

Confessa que ter o município a considerar o seu livro como de interesse cultural público lhe dá uma enorme alegria. 

Outro motivo de grande orgulho foi a apresentação do livro, que encheu o auditório da Casa da Cultura de Paredes, bem como as notas introdutórias escritas por Alexandre Almeida e Beatriz Meireles.

Leia a reportagem completa na edição do jornal “O Progresso de Paredes”, do dia 13 de outubro Entrevistade 2023, edição nº3570.